Suzi Ribeiro

Me apaixonei pela dança há doze anos e devido a necessidades financeiras e familiares administrei esta paixão em paralelo a colégio, graduação e atuação profissional em Economia. Durante alguns anos estudei a dança e atuei fazendo shows e ministrando aulas apenas nos fins de semana e madrugadas. O sonho de fazer desta arte meu trabalho, especialmente como professora, tomou conta da minha vida e então tratei de buscar cursos que me preparassem melhor para esta atuação. Como não existia formação acadêmica para Dança Oriental em Curitiba e qualquer outra formação que contribuísse nesta atuação (ex. Artes Cênicas, Dança, Educação Física) era inviável para minha vida financeira, mesmo não querendo tive que seguir a carreira administrativa e continuar os estudos da dança em paralelo. Caminho aparentemente difícil mas que, futuramente, mostrou-me a verdade de dois ditos populares: “Deus escreve certo por linhas tortas” e “Seus pais fazem isto pelo seu bem”. Pois a carreira corporativa durante cinco anos ensinou-me a planejar, administrar e traçar um caminho para realização do sonho…
Nunca desisti do sonho de ter minha escola de danças e me qualificar como profissional nesta área mas para realizar estes objetivos precisava de dinheiro e para ter dinheiro precisava trabalhar e para trabalhar precisava de faculdade mas para a faculdade também precisava do dinheiro… que loucura… então arrisquei me matricular no curso mais barato de nível superior apenas para eu conseguir um emprego e através de um caminho mais longo criar possibilidades para trabalhar com Dança futuramente… “imagina, daqui quantos anos vou conseguir dinheiro para abrir uma escola de dança? serão quatro anos pagando a faculdade e depois começar a juntar para o Estúdio”… pensava. Enquanto cursava faculdade, trabalhava como compradora em uma multinacional, ministrava aulas e continuava estudando a Dança do Ventre nos fins de semana, em seis anos eu e minha irmã Sheila Ribeiro (que sempre compartilhou deste sonho comigo) havíamos construído um grupo grupo de dança atuando em shows no Paraná e possuíamos expressivo número de alunas em Dança do Ventre. A partir daí, com a perseverança no sonho de ter uma escola de danças e o apoio de todas as nossas alunas, passamos a planejar e administrar este sonho até que em março de 2008 ele se concretizou e inauguramos o Flor de Lótus Estúdio de Danças Terapias e Artes que, além do sonho concretizado é uma empresa que reúne artistas maravilhosos que compartilham do mesmo amor e respeito pela arte.
Vindo de um contexto humilde de pouco conhecimento cultural artístico o objetivo de trabalhar com Dança entrou em conflito diversas vezes com família, religião e amores. Mas hoje, quando visualizo tudo que traçamos até chegar aqui percebo a seguinte realidade:
Família: O pai que era resistente a esta escolha talvez por medo do desconhecido hoje apóia, admira, contribui e compartilha de decisões da empresa feita de Dança;
Religião: Um trabalho que objetiva proporcionar prazer, satisfação e melhora de vida para as pessoas e ainda possibilita levarmos esperança e novas expectativas culturais para meninas carentes com certeza nos coloca mais próximas de Deus e promove nossa religação com o divino;
Amores: Trabalhar com a linguagem da alma nos faz instrumento do amor.
Sem a dança não estaríamos tão próximos da família, de Deus e do Amor quanto estamos hoje!
Moral da história:
Nunca Desista de Seus Sonhos