Deusa Morgana encontro 10.8.18

Encontro 10.8.18

A sabedoria milenar feminina está aqui, dentro de todas nós. E o autoconhecimento através da meditação, rituais de conexão com as energias do corpo e da natureza, rituais de conexão com os arquétipos das deusas, da mãe terra e da avó Lua, as fases lunares e sua relação com os ciclos das mulheres, são caminhos para despertar esta sabedoria. Suzi.   

O incenso Nag Champa é composto pelos aromas da flor champa (sagrada flor cultivada na Índia) e sândalo. Tem o poder de agir no humor, é calmante e facilita a concentração em meditações.

O óleo que utilizo em alguns círculos e uma mistura de Jasmim e Sândalo. O sândalo estimula a meditação e a conexão com a nossa alma. O jasmim auxilia o equilíbrio das emoções e da energia vital.

Dança em círculo: Vou Banindo
Vou banindo pela Terra e Ar
Vou banindo pelo Fogo e Mar
Vou banindo, vou banindo pra purificar
Vou banindo, vou banindo pra exterminar
Espiral, Espiral, Espiral
Sugue o que há de ruim
Leve todo mal
Artista: Claudiney Prieto & Tradição Diânica Nemorensis

Apresentações e partilhas:
Integrante novas se apresentaram. A facilitadora Priscila falou sobre seu trabalho com dança terapia e as integrantes do círculo falaram sobre suas conexões com as deusas que trabalhamos em círculos anteriores.

Morgana, a Fada – Ritmos
(livro O Oráculo da Deusa, de Amy Sophia Marashinsky)

Mitologia:
Morgana, a Fada, é uma Deusa tríplice celta da morte e do renascimento. Representada como uma bela jovem donzela, uma vigorosa mãe (criadora, nutridora) ou uma bruxa portadora da morte. Então ela domina o ritmo de todas as fases da vida. O ritmo ativo da donzela, o pleno da mãe amorosa e o tranqüilo da sábia anciã. Ela também foi uma Deusa do mar, pois seu nome, “Mor”, na língua celta significa mar. Seu último nome tem dois significados: “A Fada” e “O Fado”. Nas lendas Arturianas, ela era meia-irmã do Rei Artur e teve um filho com ele. A lenda diz que ela manipulava o filho para induzi-lo a matar o pai. Mas quando Artur morre, Morgana vem em seu auxílio para levá-lo à ilha mágica de Avalon, onde ela o cura e, em seguida, lança-o num sono profundo, do qual ele só acordará quando o tempo for propício. 

Significado da carta:
Morgana, a Fada, chegou dançando na sua vida, com seus tambores e sua magia para convidá-la a descobrir e viver seus próprios ritmos. Qual é o seu ritmo pessoal? Você sabe qual é o melhor momento para exercitar-se, dormir, comer, ser criativa, fazer amor, trabalhar? Ou gasta toda a sua vitalidade ajustando-se ao ritmo imposto pelos outros?  Pela sociedade, pelo trabalho, pela família, pelo amante, pelos amigos? Você mergulhou na vida do outro e vive o ritmo dele em vez do seu? Talvez você nunca tenha descoberto o seu ritmo porque quer agradar àqueles com quem convive e “fazer parte do time”. É de vital importância que você siga o seu próprio ritmo. Fluir com ele lhe dará mais energias, porque você não estará mais reprimindo o que lhe é natural. Morgana, a Fada diz que a vitalidade, a saúde e a totalidade são cultivadas quando você flui com sua pulsação única, em vez de ir contra ela.

 

  1. Reflexão sobre a poesia em relaxamento.

Sente-se ou deite-se confortavelmente, com a coluna reta, feche os olhos e Respire profundamente…

Quando danço com a Vida danço o meu próprio ritmo
Minhas marés estão alinhadas e fluem com a minha pulsação
Reverenciando a mim mesma eu reverencio tudo
Quando você dança com a Vida, qual é o seu ritmo?
Ele é rápido ou lento?
Alegre ou litúrgico?
Repetitivo ou em constante mudança?
Você deixa o ritmo da sua vida servi-la ou abatê-la?
Acalmá-la ou agitá-la?
Encorajá-la ou perturbá-la?
Você sabe?

 

  1. Escrever respostas (anotações pessoais) para as seguintes perguntas:

Qual é o seu ritmo pessoal? Rápido ou lento? Alegre ou litúrgico? Repetitivo ou sempre mudando?

Você deixa o ritmo da sua vida servi-la ou abatê-la? Acalmá-la ou agitá-la? Encorajá-la ou perturbá-la?

Você sabe qual é o seu ritmo ou gasta sua vitalidade ajustando-se ao ritmo da sociedade, do trabalho, da família, do amante e dos amigos?

 

Dança livre com Morgana, por Priscila Chotguis

Conectadas com a reflexão que tivemos com a energia da deusa Morgana, detentora do conhecimento de todas as fases, todos os ritmos e respeitando o ritmo natural do nosso corpo nos entregamos para uma prática de uma hora de livres movimentações corporais, deixando fluir nossa energia e nossos sentimentos.

Para refletir, responder e partilhar se desejar:

Qual a música me tocou e por quê?

Qual música me incomodou e por quê?

O que eu mais gostei?

O que eu não gostei?

Em que momentos me senti confortável?

Em que momentos me senti desconfortável?

É interessante que vcs respondam às perguntas básicas hoje e depois vocês podem refletir no porque de todas elas.

E nestas próximas duas semanas prestem atenção no que muda o movimento de vocês no dia a dia, seja dançando ou não.