Deusa Hécate encontro 24 8 18

Encontro 24.8.18 – Deusa Hecate

O círculo é um símbolo universal de unidade e totalidade. Somos cíclicas como a natureza, por isso nos alinhamos facilmente aos acontecimentos dentro de um círculo. A nossa sabedoria milenar feminina encontra um lugar seguro para se manifestar.


Dança em círculo: Vou Banindo
Vou banindo pela Terra e Ar. Vou banindo pelo Fogo e Mar. Vou banindo, vou banindo pra purificar. Vou banindo, vou banindo pra exterminar. Espiral, Espiral, Espiral. Sugue o que há de ruim. Leve todo mal. Artista: Claudiney Prieto.

Apresentações e partilhas. No encontro passado trabalhamos a deusa Morgana, a Fada. Como é considerada uma deusa tríplice, detentora do conhecimento de todas as fases da vida, ela conhece todos os ritmos e veio nos dizer para sermos atentas ao nosso próprio ritmo de vida, se sabemos qual é o nosso próprio ritmo, se vivemos o ritmo de nossas vidas em função de outras coisas ou pessoas. Então a Pri conduziu uma vivência com dança livre e deixou algumas questões pra refletirmos.

Deusa de hoje: Hécate – Encruzilhada
(livro O Oráculo da Deusa, de Amy Sophia Marashinsky)

Sento-me na escuridão da noite da Lua Nova com meus cães. Na encruzilhada, para onde convergem três caminhos. Todos os caminhos são desejáveis. Mas apenas um você pode percorrer. Apenas você pode escolher. A escolha cria finais. E todo início vem de um final. Qual caminho você escolherá? Qual caminho percorrerá? Embora a escolha seja sua, eis um segredo que partilho com você: O caminho a escolher é entrar no seu vazio. O caminho a escolher é deixar morrer. O caminho a escolher é voar livre. E nos caminhos escolhidos não há mal ou bem, não há certo ou errado. Existo na escuridão e na luz. Sou tanto o sopro que deixa teus pulmões vazios e traz o fim, quanto o choro do recém nascido que traz o início. Sou tanto as juras de amor quanto as lágrimas da verdade. Sou a vida e sou a morte. Tudo que se cria a de se destruir para um novo começo. Meu é o reino que não tem rainha ou rei. Meu é o tudo que não pertence a ninguém. Sou portadora da chave do fim e do início.

Mitologia: Hécate é uma deusa grega considerada por muitas pessoas a deusa do lado escuro da Lua (Lua Nova, eclipses), das parteiras, do nascimento, da magia, do fogo, dos caminhos. Adorada nos locais onde as estradas se cruzavam, um dos mitos conta que ela andava nas noites de Lua nova acompanhada por uma matilha de cães. Costuma ser representada segurando duas tochas, ou uma chave, seguida por éguas, lobas ou cães. Muitas imagens também a representam com uma deusa tríplice, mulher com três corpos e três cabeças, representando o conhecimento da donzela, mãe e anciã. A etimologia já foi relacionada à palavra “vontade”, “a que opera a distância”, “a que move ou remove”, “a que alcança longe” ou “a que lança longe”. É uma deusa muito presente na espiritualidade feminina, pois as evidências dos monumentos em relação à significância de Hécate são tão completas quanto à literatura. É uma que preside tanto o nascimento e o parto quanto os horrores noturnos, os monstros apavorantes e os pensamentos infernais. Como deusa das encruzilhadas, Hécate simboliza as escolhas de caminhos que devemos tomar em nossas vidas. E essa decisão pode ser por vezes infernal apavorante e trazer fantasmas de nosso inconsciente. Com sua aparência tríplice representa as três fases da lua (crescente, minguante e nova) e os três níveis simbolizados pelo céu, terra e mundo subterrâneo. Pois nossas escolhas diante das encruzilhadas da vida nos levam a caminhos rumo a um desses níveis. Mesmo sendo uma deusa também da escuridão ela é ritualizada para a cura e elevação espiritual porque acreditam que na busca da nossa própria identidade é necessário passar pelo caos e pela noite escura da alma para que novas potencialidades se manifestem. São a partir dos momentos de conflitos que nascem novos caminhos.

Significado da carta: Hécate a encontra na encruzilhada onde você tem de fazer uma escolha. Os momentos de escolha não são fáceis. Os desafios apresentados precisam de um salto de fé da pessoa que faz a escolha. Hécate diz para abandonar a idéia de que há escolhas certas ou erradas: há apenas escolhas. Você tem adiado fazer uma escolha porque ela parece muito sufocante ou é uma situação “de perda”? A escolha lhe dá medo do desconhecido? Parece melhor ou mais fácil continuar com o que você já conhece? Às vezes, a escolha tem de ser feita, mas você ainda não está pronta. Nesses casos, o caminho é reconhecer onde você está e relaxar. Confie em que será capaz de fazer uma escolha quando chegar à hora. Conceda-se tempo e espaço. Não se pressione, não se censure, não se culpe. Aqui você precisa de proteção. Quando você relaxa, a claridade surge para te mostrar o que é necessário. Hécate insiste para você aceitar o desconhecido. Seja qual for a sua escolha vc aprenderá algo valioso e poderá usar no caminho do encontro consigo mesma. Quando entendemos q nada é permanente e q até uma escolha aparentemente ruim proporciona grandes aprendizados estamos no caminho da totalidade. Alinhe sua mente com seu coração e chame sua sabedoria interior para fazer escolhas sábias e amorosas. Tenha coragem, trilhe o caminho e viva a experiência. Todo resultado é perfeito quando desfrutamos da jornada.

Vivência: meditação induzida

Dança: dança livre representando caminhos que queremos deixar e caminhos que queremos traçar.

 

Este é um movimento de resgate da espiritualidade feminina em círculo, com partilhas, desabafos, meditações e dança. Estudamos as deusas mitológicas como inspiração, pois elas representam a multiplicidade de energias, fases e atributos do feminino. Os alimentos e chás compartilhados também podem ser trazidos pelas integrantes quando sentirem. Sugiro que tenham um caderno pessoal de anotações para auxiliar nas práticas que possuem perguntas e reflexões. Auxilia no processo de autoconhecimento ler suas anotações posteriormente. O Oráculo das Deusas estará sempre disponível para tirar uma carta sempre que sentir. Sugiro trazer manta/cobertor porque geralmente ficamos um tempo com o corpo parado durante as partilhas e meditação. Após seu primeiro encontro me peça-me para incluí-la no grupo de contato do círculo para receber os materiais. Cada encontro tem livre contribuição de R$20 vinte reais, que será revertido para uma ação voluntária no final de cada ano. Dúvidas me chama. Com amor, Suzi.