Sob efeito da lua

Sob efeito da lua

Muito se diz sobre os efeitos da lua nas pessoas, especialmente nas passagens de ciclos. Antes de tudo é preciso deixar claro que nossa consciência interior é muito mais forte, intensa e sábia do que efetivamente pensamos, sendo assim, desde a antiguidade homens e mulheres buscam formas de ritualizar os acontecimentos da natureza para potencializar os efeitos dessa consciência, também conhecida como essência divina.

Encerramentos de ciclos são bons momentos para realizar a análise do que deve ser deixado para trás e do que se espera concretizar. Por um feliz encontro, no fim do ano de 2018 (pelo calendário gregoriano) a lua visível do hemisfério sul era a minguante, que também simboliza encerramento ciclos. Tudo propício para unir o simbolismo da passagem de ano com o simbolismo do ciclo lunar.

Por outro lado, é preciso amadurecer certos pensamentos e abandonar velhos conceitos de que a lua minguante “tudo mingua”. Quem acredita que a beleza da espiritualidade coloca armadilhas como essa ao nosso redor precisa olhar para cima e não para a poeira dos dogmas e tradições que já tiveram seu tempo. Acreditar em tais crenças não vai minguar sua vida, mas certamente atrapalhará o desenvolvimento, o autoconhecimento e a busca pelo divino que existe dentro de cada ser.

O simbolismo da lua existe para fortalecer aberturas para aqueles que buscam, para desejar alcançar a plenitude de seus sonhos, para períodos de recolhimento e meditação, para definição de novos planos, para reconhecer, abraçar e ressignificar suas sombras e para doar generosamente a luz recebida. Dar ouvidos às intuições é mergulhar no feminino, no sagrado, nas energias que nos movem, é dar liberdade à essência divina que clama ser ouvida.

Portanto, a harmonia de passagens de ciclos em conjunto com a lua minguante nos lembra que tudo é cíclico e, como bem sabem os buscadores, nenhum círculo se repete, pelo contrário, eles se sobrepõem em diferentes níveis como uma espiral que nos leva aparentemente ao mesmo ponto de início, porém um nível acima. E como todo recomeço, é hora de deixar para trás o que nos impede de seguir em frente e também é hora de mentalizarmos toda a prosperidade, o amor e a espiritualidade que desejarmos. E para que possamos apreender o melhor da vida e de nossa experiência aqui na terra é nosso dever e direito nos abrirmos para a verdadeira magia que está muito além de um pedaço de rocha flutuando no espaço e girando ao nosso redor enquanto também giramos ao redor de uma bola incandescente. Essa verdadeira magia está dentro de nós, a centelha divina de cada ser, refletindo todos os mistérios do universo, da criação e da evolução… É ela que dá poder e significado a tudo que acreditamos, incluindo nossas conexões com a as energias da Lua… Que possamos dar ouvidos a ela.

Suzi Ribeiro e Fábio Gimovski